Amador de fotos.

17/05/16

    O que vocês precisam saber é que eu não amava fotografar, isso não era algo de extrema importância em minha vida. Demorou para que eu me descobrisse como fotógrafo. Surpreso? Essa é a verdade.

   Meu pai por outro lado é aquele tio careta que fica de um lado para o outro nas festas, fotografando tudo. Até me explicar o que o levava a tirar tantas fotos em reuniões da família. "Daqui alguns anos, você terá fotos suas para mostrar aos seus filhos. Vai ter fotos dos seus pais, tios, tias e avós. É eterno." Essas palavras brotaram em mim. Depois disso comecei a admirar fotografias, enxergar com olhar poético a importância de uma imagem.

Foto Por: Bruno R. Inoshita


   Há alguns dias estava pensando na primeira vez que produzi um ensaio. Estava tão nervoso e inseguro. A primeira vez a gente nunca esquece, o resultado não foi bom (nem de longe), mas por algum tempo eu me senti realizado. Depois aprendi que poderia fazer melhor. Bem melhor.

 

 
   O mais curioso é que depois de um tempo descobri que esse amor por fotos é herança de família. Uma vez a caminho da dentista, perguntei aos meus pais por que meu segundo nome não era japonês, assim como dos meus irmãos. Depois de dar a explicação, meu pai disse "queria que seu segundo nome fosse Noboro..."  ele continuou "Era o nome de um dos irmãos do seu avó. Tio Noboro era fotógrafo, naquela época ele já tinha uma câmera, acho que nosso amor por fotografias vem dele." Eu não conseguia dizer nada, apenas sentir, naquele momento tudo foi respondido. Está no sangue. Demorei tanto tempo para descobrir, para deixar florescer, mas aconteceu e sem que eu soubesse, isso já fazia parte de mim.

Foto Por: Bruno R. Inoshita


   O tempo foi passando e eu me desenvolvendo. Pouco mais de 1 ano, tempo para eu descobrir coisas que gosto de fotografar, como por exemplo flores, amo flores, a delicadeza e a perfeição de uma rosa é capaz de me fazer parar e pensar na perfeição da natureza, como tudo é planejado e parece desenhado, com amor e carinho. Comecei a retratar tudo isso, a guardar pra sempre. Fotografia vai além de uma expressão artística, é uma expressão de amor, que atravessa o tempo. Isso é ser amador de foto.

   Aquele garoto que começou a fotografar para seu blog, para criar uma identidade, foi além, ele descobriu que na verdade, fotografar faz parte da sua identidade. Parte de quem é, de onde veio. Nada é por acaso.

Foto Por: Bruno R. Inoshita


   As fotos abaixo fazem parte do meu acervo pessoal. Bom, espero que gostem... Se quiser ver mais e me acompanhar pode me seguir no Instagram é @roberto_inoshita <3 Snap: brubs_inoshita <3 Assim pode acompanhar meu dia a dia e bastidores do blog. Beijos e até a próxima.


Foto Por: Bruno R. Inoshita




Foto Por: Bruno R. Inoshita




Foto Por: Bruno R. Inoshita


Foto Por: Bruno R. Inoshita








O inverno chegou. Você está preparado?

10/05/16

   Oi gente. Está frio, né? E os looks de inverno? Estão prontos? Os meus estão quase pulando do armário (armário mexmo, closet é coisa de blogueiro classe A).

   Eu fotografei um look super básico. Queria compartilhar com vocês. É possível ficar bonito e elegante sem gastar nada (comprar mais roupas e etc). Peguei peças que já tenho. Coisas que uso bastante e coisas que usei poucas vezes e montei um look amável.



   Vamos ao look: Calça jeans estilo Destroyed. Escolhi essa calça pois o look é básico, ela vai ajudar a deixar o look jovem e descolado. Sem contar que o jeans da calça é diferente do jeans da camisa, assim as peças não se misturam. Vamos usar uma jaqueta college.  A jaqueta deixa o look mais street. O couro da manga impõe estilo e atitude.

   Duas peças jeans, isso pode? Pode sim. Aliás, tudo pode, desde que você queira. Já fiz algumas combinações de jeans. Algumas vezes. Admito, amo jeans. Bonito, confortável e certeiro.

   Pronto, com esse look você pode ir à farmácia. Na padaria do bairro. Pode ficar em casa e tirar fotos. Ir ao posto de saúde e até mesmo comer uma coxinha no boteco do centro. Amo. <3



Camisa jeans é Levi's;

Calça TNG;

Jaqueta college Gap.


Não sou raro. Sou lindo.

19/04/16

   A palavra de hoje é aceitação. Jamais imaginei que um dia faria um ensaio, muito menos que amaria o resultado e que ficaria com aquele gosto de quero mais. Passei a adolescência me cobrando e me perguntando o motivo de não ser o cara bonito da turma ou aquele com quem todo mundo quer ficar. Na maioria das vezes era trocado pelo padronizado, o branco de porte atlético e olhos claros. Isso me magoou um pouco e fez com que eu acredita-se que para ser desejado tinha que ser como eles. O que não é verdade.

(Foto Por: João Paulo Santos da Paz)

   Hoje eu entendo isso...

   Gosto é construção social. Tudo que conhecemos como "preferência", foi criado, inserido em nossas vidas como certo e ideal pela mídia. Hoje muitas pessoas colocam em discussão aquilo que se chama de "gosto", pessoas que não acreditam em um padrão. Afinal, não há motivos para acreditar, já que existem milhares de pessoas, traços e formas específicas.

   Quando decidi criar um blog (esse blog), enfrentei inúmeros preconceitos. Gente que desafiava a minha competência, pessoas petulantes a ponto de ironizar o fato de um negro acima do peso escrever em um blog de beleza, estilo e tendência. Espera! Quem disse que para falar de moda é preciso ser padrão? De onde eu vim me ensinaram que poderia ser tudo aquilo que quisesse, desde que fizesse com amor e me propusesse ir até o fim. E com certeza, irei.

(Foto Por: João Paulo Santos da Paz)



   O que é gosto para você? Se você tivesse crescido influenciado por pessoas negras e essas fossem suas únicas referências, ser negro de olhos escuros e cabelo crespo, não seria apenas normal, como desejável. Se o mundo não fizesse você acreditar que para ser normal é preciso ser magro(a), você não teria vergonha ou receio de se relacionar com pessoas acima do peso. Mas infelizmente, eu não tive referências negras quando era criança e ninguém nuca me disse que estar acima do peso não era o fim do mundo (talvez tudo tivesse sido mais fácil). Não acredito que seja tarde, não é tarde para buscar referências, não é tarde para assumir seu tom de pele e seu peso. Foi pensando na falta de referências na época em que era criança que realizei esse ensaio. É como se eu estivesse acorrentado esse tempo todo e agora pudesse dizer: "Esse sou eu, eu amo ser assim."  Agora sei que amor próprio é a base de tudo. Amor próprio, nos encoraja.

    Acredite, não há nada de errado com você. Errado é tentar fazer as pessoas acreditarem que para ser "normal" é preciso ser uma cópia de tudo aquilo que elas julgam ser perfeito e aceitável.

(Foto Por: João Paulo Santos da Paz)


   Tive o imenso desprazer em ouvir diversas vezes que eu sou um "moreno raro." O que é considerado elogio, para aqueles que acreditam que ser um "moreno raro" é elogio. Ouvi isso por conta do meu sobrenome, por ser negro de descendência japonesa. Bom, a minha resposta: Eu não sou um moreno raro. Sou negro, lindo. Assim como todos os outros negros que conheço.

   Quero que você sinta-se assim. Que viva cada dia com orgulho, orgulho da sua aparência, da sua história e dos seus caminhos. Sim, realmente é difícil se amar e aceitar-se na sociedade em que vivemo. Está cheio de gente cagando regras e dizendo como devemos ser. All the time. Mas não perca a sua essência, ame-se para ser amado. A opinião mais importante é a sua.



(Foto Por: João Paulo Santos da Paz)


Agradecimento especial ao melhor amigo, fotógrafo, blogger e futuro estilista João Paulo Santos da Paz. Agradeço por me ajudar nos maiores desafios da minha vida. Obrigado! <3

   Espero que tenha gostado, daqui a pouco eu volto. Estarei sempre aqui, não esqueça.



   "Seja você a sua própria referência, se mostre, se encante".  Inoshita, Bruno.



Eu quero lutar: Sons Vazios contra o racismo.

25/03/16

   Foram muitos anos enfrentando tamanha intolerância, acho que enfrentando não é a palavra correta, sendo "vítima" é mais adequado, apesar de odiar essa palavra, ela me representou na maior parte da minha jovem vida e infelizmente representou outros jovens negros também e talvez ainda os represente, essa palavra "vítima" não me representa mais, pois agora eu sei da minha capacidade e da minha força, sei quais medidas tomar e como lidar com isso de cabeça erguida.



(Foto Por: Ton fraga, mais fotos em @tonfr).


   Quando a gente é criança nós não temos noção do que é preconceito, sofremos com a intolerância de outros seres mal encaminhados, mas não sabemos o motivo daquele ódio, não sabemos porque a professora nos trata diferente de outros colegas de classe, só percebemos que não somos "iguais", pois é assim que nos sentimos depois de um tempo. Foi nessa fase que eu acreditava que precisava fazer de tudo para que aquelas pessoas gostassem de mim, para que brincassem comigo sem me bater ou xingar, eu só queria amigos e antes do meu aniversário de dez anos eu por vezes acreditei que eu tinha amigos, mas infelizmente, na noite de sábado quando minha família se reuniu para comemorar meu aniversário, nenhum dos convidados apareceu.

(Foto Por: Ton Fraga, mais em @tonfr)


   Então você cresce, se torna adolescente e certas coisas mudam, agora você entende melhor o mundo, entende melhor as pessoas, entende cada avaliação com o canto do olho, no shopping, no parque, em festas em lugares considerados "chiques" e etc... Você percebe que para alguns colegas ser chamado de negro é um insulto e quando alguém discorda sobre ele não ser tão branco, ele se sente ofendido, fica sem graça e depois parece furioso é no ensino médio que você aprende que para alguns pais a coisa funciona da seguinte maneira: Você ser amigo de um negro, ok! Namorar um negro... Bom, aí você já está forçando a barra, é pedir muito.

(Foto Por: Ton Fraga, mais fotos em @tonfr)

   Demorou, mas finalmente eu entendi que o meu papel é me posicionar, falar, não calar e consentir, mas se erguer e dizer "Sim, eu sou negro e tenho orgulho disso." Sou uma mistura de japonês com alagoano e mineiro e isso só me faz ser mais orgulhoso, amor isso aqui é Brasil e eu lhe apresento com o maior prazer a nossa raça nada pura e toda misturada. Sobre não ser igual, caracaaaaaaa, ser igual é horrível, hoje eu enxergo isso de forma clara, hoje minha maior vontade é usar black, infelizmente a parte asiática da força não me permitiu tamanho glamour e ousadia, não há nada mais prazeroso que ser negro, não pardo, não moreno, mas negro, lindo saber que meu sangue descende de pessoas tão ricas de cultura e história, nada mais belo que se olhar no espelho e enxergar todas as suas misturas, seus lábios grossos que combinam perfeitamente com cada traço, delicados e agressivos ao mesmo tempo, impossível olhar no espelho e não se amar.

(Foto Por: Ton Fraga, mais fotos em @tonfr)

   Ser negro ainda é um desafio, mesmo nos dias de hoje, mas nós não podemos nos intimidar, pois virão outros e são nessas pessoas que temos que pensar, graças aos negros que não se intimidaram no passado, hoje nós podemos e temos condições de completar ensino superior, de chegar a cargos importantes, votar e nos posicionarmos. Nós devemos seguir o passo dessa geração, devemos travar essa luta. Como começar? Primeiro, se ame, entenda que isso nunca foi e nunca será um defeito (mesmo que muita gente tente fazer parecer que é), segundo, esteja disposto, disposto a enfrentar muita gente, disposto a se superar e enfrentar a intolerância humana e o último, mas não menos importante, assuma suas identidades, assuma seu nariz largo, assuma seu cabelo crespo, assuma sua cultura e seu povo. Bom, isso é só o começo de mais uma história, o começo de outra luta, espero ter ajudado alguém, ter ajudado você... <3 Vem muito mais.



   Gostaria de agradecer a generosidade do fotógrafo Ton Fraga, ele nos cedeu essas fotos maravilhosas, visitem o instagram dele @tonfr.
   

Haverão flores;

24/03/16

   Seguir em frente é o melhor remédio. tudo bem, não vai ser fácil, mas afinal, quem disse que seria? Esquecer ou encontrar um amor exige paciência. Quem nunca passou por isso que atire a primeira rosa.

(Foto Por: Bruno R. Inoshita, mais fotos em @roberto_inoshita)


   Todos nós em algum momento amamos e depois nos desiludimos e sim, é super natural, crescer e se apaixonar são fases amigas, sempre ali, de mãos dadas, basta você parar um pouco para pensar que vai entender sobre o que estou "falando." Lembra da paixão da quinta série? Isso, nessa época você fazia um metro de carta e mandava para o/a crush. Foram tantas cartas que a senhora quase acabou com a floresta amazônica e ele não correspondeu. Depois vem aquela paixão dos 15, vocês tinham "certeza" que seria para sempre, era textão todo mês no face, ninguém aguentava mais, ele foi seu príncipe na festa de 15 anos, foi tudo lindo, você até parou de falar com algumas amigas (depois se arrependeu, eu sei), vocês então perceberam que era hora de dar um basta e deram, ele foi importante, você sabe, por isso lembra com carinho. Depois disso você fez outras tentativas em relação a sua vida amorosa, mas nenhuma deu certo. Agora você acha que o problema é VOCÊ ou que todos/as são IGUAIS... Hey! Apenas respire e leia até o final, pode encontrar uma resposta.

(Foto Por: Bruno R. Inoshita, mais fotos em @roberto_inoshita)


   Todas as fases fofas e meigas passaram, agora você é uma mulher ou um homem, está desiludido, acha que amor não existe e que jamais encontrará alguém como fulano ou ciclano ou só acha que é uma frigideira mesmo, vou te contar um segredo, a maioria dos jovens de hoje pensam assim, esse pensamento me motivou a escrever esse texto.

   Calma, haverão flores. Tanta coisa mudou desde quando você saiu da adolescência, mas a mania de achar que as coisas são no seu tempo ficou e ela insiste em te frustrar. Não se culpe, é humano esperar pela boa vontade dos outros, por amor, compreensão, entre outras coisas, é inevitável. Apenas busque entender que para absolutamente tudo existe um tempo, você vai encontrar seu complemento no momento certo, porque o destino é detalhista. Talvez esse não seja o momento de encontrar alguém, talvez esse seja o momento de você se encontrar, se amar, entende?

   Sempre me disseram que o amor aparece quando a gente menos espera, hoje sei que isso é verdade, não me pergunte "o porquê", vai entender, deve ser alguma lei do universo e somos pequenos para compreender. A verdade é que a gente não deve se cobrar tanto por não ter alguém, não há porque se torturar, achar que não namorar te faz pior que alguém, menos desejado, muitas vezes estar sozinho é melhor do que estar acompanhado. E você também pode estar contribuindo para que essa sensação de solidão aumente e isso pode afastar as pessoas. Se policie.

(Foto Por: Bruno R. Inoshita, mais fotos em @roberto_inoshita)
   Vou te dar uma simples palavra e trabalhe com ela: Permita-se, isso, permita-se a sorrisos, a abraços e quem sabe a um amor, muitas vezes a gente não percebe, mas nós nos isolamos do mundo, nos isolamos das pessoas, se permitir é o primeiro passo e não custa nada tentar, a felicidade é como um pote de ouro no final de um arco-íris, e vale a pena a tentativa. Mas antes, tenha consciência de que a sua felicidade só depende exclusivamente de você, não é preciso ter alguém para ser feliz.


Enfim 19...

22/03/16

   É estranho estar prestes à completar 19 anos, tudo passou tão rápido, parece que ontem eu estava no ensino médio escrevendo um post sobre como eu estava ansioso para completar 18 anos e  me preparando para a faculdade, para vida adulta e agora aqui estou eu... com quase 19, me tornando um homem, cada vez mais cheio de responsabilidade e compromissos, não, não é fácil, é muito difícil crescer, e ainda mais difícil administrar o tempo, porque apesar da pouca idade os afazeres são muitos.

   Ás vezes surtar é necessário, isso vai te manter vivo durante essa transição.

(Foto Por: Bruno R. Inoshita, mais fotos em @roberto_inoshita)


   Se você acha que quando chegar aos 19 anos sua vida vai ser farra o tempo todo e um mar de rosas, está muito enganado, normalmente depois dos 18 você vai ter outras preocupações, cursinho, inglês, faculdade blog rs... E sua vida vai ser uma loucura, nem sempre ruim, porém você vai ficar meio perdido na maior parte do tempo. Tipo: Que?

    Lembram do meu post sobre 18 anos? Então, não aconteceu como eu imaginei, ilusão achar que a vida sempre vai ser como a gente espera, a vida é indomável, é como um boi, não um boi manso, um boi sentimentalmente instável (acho que eu sou tipo a vida). Hoje eu aprendi a não esperar tanto, não planejar tanto, deixar acontecer, fluir, a vida é um fluxo energético gigantesco, tem vontade própria, impossível domesticar e acredite, nada, absolutamente nada será no jeito que você planejou e isso não é algo ruim, pois você aprende muito, encare como amadurecimento, isso vai te ajudar.

(Foto Por: Bruno R. Inoshita, mais fotos em @roberto_inoshita).


   A verdade é que eu quero agradecer muito à todos vocês, meus leitores, meu maior apoio, pessoas que fazem eu acreditar nesse meu sonho gigantesco que é ser escritor/jornalista e tudo mais que der na telha, vocês sem dúvida são meu maior presente.

   Sobre querer ser jornalista e escritor, meu melhor amigo diz: Você quer ser tudo e fazer tudo de uma vez só. Verdade. Rs! Essa é uma das piores partes de fazer 19 anos, provavelmente você não vai ter certeza do que quer fazer, eu mudo muito de opinião, quero ser jornalista, mas não sei se daria certo, não sei dizer se essa indecisão é boa ou ruim. Apenas não acho que a gente tem que se prender em uma única coisa, a vida está aí pra isso, para ser aproveitada com intensidade, de coração inteiro, não me venha com metades. Não sou homem de metades. Afinal, me dizem que o momento de errar é esse... Não que eu concorde muito com isso, mas esse assunto eu deixo para outro post.

   Bom eu não vou dizer o que espero para meus 19 anos, só quero viver, só quero que tudo aconteça como tiver que acontecer e é isso, até a próxima.

O lacry do novo clipe "Formation" da Beyoncé

06/02/16

Manasssssssssssss, para tudo! Me ajudem que eu mortíssimo, na verdade nem sei como estou escrevendo esse post, pois ainda estou em choque. Beyoncé acaba de nos arrasa com uma nova música e novamente sem NENHUMA divulgação. Beyoncé que esta toda acostumada a lançar músicas e clipes fazendo a pêssega para as divulgações.



Segundo a fan page Beyoncé Always, Formation é um clipe que vai além de uma fotografia boa. Beyoncé investiu na luta contra o racismo, e o clipe traz referências históricas sobre a luta da comunidade negra. Percebemos isso pois apenas negros atuam no videoclipe.

Como exemplo ela usa o caso do taxista negro que foi torturado por policiais brancos em LA em 1991, também temos de exemplo a representação do período colonial, onde negros eram escravizados e humilhados. Os cenários, as danças, os figurinos, tudo remete a esse período.





Agora vem ver o clipe pra você tremer junto comigo:



Além de tudo isso, Blue, filha de Beyoncé com Jay-Z aparece no clipe, relembrando quando Blue sofreu racismo por conta de seu cabelo. Ela rebate fortemente:

"Eu gosto do cabelo do meu bebê, meu bebê com cabelo afro"


Eu fico totalmente impressionado como Beyoncé consegue se superar em cada trabalho, e eu sempre espero muito dela. Eu to chorando ainda manas, fiquem bem! Até a próxima.