Outro caminho;

22/06/16

   Quando eu era criança sonhava em ser artista, trabalhar na televisão e ter milhares de fãs. Eu queria ser ator de novela, ser amigo de celebridades, desfilar por tapetes vermelhos. Aquele velho sonho americano. Motivado por esse sonho eu comecei a frequentar aulas de teatro, aprendi muita coisa e descobri que eu realmente nasci para arte. Por muito tempo acreditei que o palco era meu lugar. Sentia-me bem, em casa, esquecia todos os meus aborrecimentos adolescentes, ali eu era realmente aceito.

   Escrevi peças de teatro para escola, atuei. Foi bom, lembro com muito carinho. O teatro me ajudou muito, despertou desejos e me mostrou que eu era capaz, capaz de fazer tudo aquilo que quisesse. Então com 16 anos eu comecei a escrever um livro, mas aquilo não me parecia suficiente, eu não queria esperar para lançá-lo e só assim mostrar quem sou e tudo que penso para outras pessoas. Era muito tempo para um adolescente impaciente. Uma grande amiga estava desistindo de um blog em parceria com uma garota, nós sempre fomos muito próximos e passávamos boa parte do tempo falando sobre livros e coisas que gostávamos de escrever. Eu imediatamente pedi o blog abandonado, disse que queria começar um site, escrever para as pessoas e ter leitores,queria ser o maior blogueiro da cidade e faria isso acontecer. 

   Hoje já são quase 3 anos de blog. Lembro como se fosse ontem, a primeira matéria, a primeira vez que divulguei e as primeiras visualizações (que no total foram 26). Eu jamais imaginei que chegaria tão longe. Para você pode parecer besteira, mas para mim são 3 anos de conquistas, 3 anos de batalha, amor e realização. Recentemente, devido a vários problemas por um instante pensei em deixar esse blog de lado, esquecer tudo e dedicar-me a outras atividades. Depois, mais calmo eu pensei com carinho e cheguei a conclusão que abandonar esse blog é abandonar parte de mim. Abandonar um pequeno garoto sonhador que nasceu em uma cidade com pouco mais de 50 mil habitantes, com sonhos e ambições. E não, eu não posso fazer isso com essa pessoinha. Pois ele encontrou nas palavras refúgio e conforto. É tudo o que ele tem, tudo o que ama. 

   Eu decidi deixar palavras. Aprendi que melhor do que bens materiais, são as coisas sentimentais. Aprendi que cada palavra tem um significado e quando usadas de forma correta, podem informar, transformar, acalmar e ser. Ser o refúgio ou a luz que brilha no fim do túnel na vida de alguém. Talvez você não concorde com isso, mas acredite, em algum lugar tudo isso fez sentido para alguém.

   Queria dizer para você manter-se forte, para não desistir. Se você ama não existe motivo para desistir ou abandonar. Esse blog é a minha salvação, meu ponto de paz. Talvez eu não seja o maior blogueiro que você já conheceu. Não tenho milhares de fãs e nem estampo capas de revista, mas esse é o ponto interessante. Através desse blog, o menino descobriu que fazer qualquer coisa com amor é mais importante e que todo o resto é consequência. Dinheiro e fama não compram sentimentos, menos ainda sabedoria e vivência. Não vale a pena desistir de algo que amamos. O momento pode ser difícil, mas vai passar. Esse é meu recado.

(Foto Por: Bruno Roberto Inoshita, mais fotos em @roberto_inoshita)


   Caro leitor(a), agradeço por seu companheirismo. Por sua paciência e por estar aqui. Como humano sei que tem momentos difíceis, assim como qualquer outro. Não existe dor igual ou sentimentos iguais, pois cada pessoa sente e vivencia cada situação de maneira diferente, mas lembre-se: Desistir não é a saída. Lutar pode abrir feridas, mas elas cicatrizam e ensinam-te a viver. Sempre há outro caminho. Até.

Para pensar

19/06/16

   Desculpa uma simples palavra. O que faz você acreditar que uma palavrinha como essa tem o poder de consertar tudo? Concordo que pode ser um começo. Quando alguém responde: "Tudo bem, você está desculpado." Ela não quer dizer que não está magoada, que tudo que disse ou fez foi apagado. Entenda que é só uma palavra, não vai mudar sentimentos ou apagar o passado. Sim, é muito importante lembrar isso, hoje em dia parece que tudo se resolve com um pedido de desculpa e não é assim. Não podemos simplesmente falar tudo o que pensamos ou fazer e acreditar que as coisas mudam com uma simples palavra.

   Que tal pensar? Melhor ainda, pensar e repensar e então agir. Assim a chance de magoar alguém e magoar-se é menor. A vida é sim uma escola, sábio aquele que aproveita cada lição, muda, transforma e o mais importante, aprende com seus erros e até mesmo com erros alheios. Não estou dizendo para deixar de desculpar-se quando comete erros. O que quero dizer especificamente é que essa palavra não possui efeitos mágicos. Atitudes, ofensas, mágoas não irão se apagar assim que você lançar "desculpa", é só um começo, pessoas arrependidas mudam. Não por outra pessoa, mas por si próprio, essa é a melhor forma de mostrar arrependimento, essa é a melhor maneira de mostrar a alguém que tem vontade de corrigir-se. Somos a geração da desculpa. São tantas desculpas e quase nenhuma atitude.

   Faltam boas atitudes, boas ações. Já pensou em ser a pessoa que deseja? Uma vez eu li em algum lugar a seguinte pergunta: "Namoraria a si mesmo?" Já tentou responder a essa pergunta? Sendo assim, está lançado o desafio. Porém esse texto conselheiro não serve apenas para namorados e namoradas, serve para você filho, filha, mãe, pai, neto. Serve para você pessoa. Não necessariamente a mesma pergunta, você pode substituir por "Eu sou o pai que queria ter?", "A mãe...?" e etc. Minha intenção é simples, colocar-te para pensar, assim como eu encontrei um texto e repensei a minha vida, espero que encontre esse texto e repense a sua.


(Foto Por: Bruno R. Inoshita, mais fotos em @roberto_inoshita)


   Caro leitor, eu sou apenas um garoto de 19 anos, com muito para aprender. Mas se cada um de nós parasse um minuto, apenas um minuto para ouvir o que cada pessoa tem a dizer, o mundo seria um lugar melhor. Essa é a minha contribuição. Qual a sua? A gente pode fazer mais do que acredita ser capaz. Nunca esqueça.   

Adotando Maria Eugênia?

 


   Isso mesmo minha gente, depois de ter sido jurada no programa da Mtv Papito in Love, do ex-namorado Supla, Maria Eugênia Suconic está de volta com seu belo cabelo ruivo e seu estilo irreverente e cheia de personalidade. Agora ainda mais Diva com seu próprio Reality Show, exatamente, no dia 9 deste mês a Mtv estreou Adotada. Como eu já havia dito, um reality show, Mareu (assim carinhosamente chamada), será adotada por algumas famílias, para ser mais preciso, serão 13, ela vai passar uma semana com cada família, nesse caso seremos presenteados com 13 episódios.


   Ela terá que adaptar-se a cada novo lar. O programa não tem como objetivo lhe transmitir uma moral ou algo do tipo, é totalmente focado na diversão.  Analisando o gênio forte de Mareu e sua sinceridade, você vai se divertir muito.



    Claro que nós batemos um papo com ela sobre o reality. Ah! E como eu sei que todos amam o estilo da ruiva, nós conversamos sobre moda, teve também uma dica de leitura e uma boa música. Tudo bem rápido, pois o foco é o programa.


  Qual a sensação de ter e estrear um Reality Show todinho seu? Acho que até agora eu não consigo responder essa pergunta, é uma sensação nova e dá medo, mas ao mesmo tempo é maravilhoso.
   
   Como surgiu o programa e quem lhe convidou?O programa eu inventei com o Ernani Nunes que era diretor do Papito e agora da adotada também, inventamos numa mesa de bar e apresentamos o projeto para MTV e eles piraram na ideia e resolveram fazer, nem acreditei. Tudo aconteceu muito rápido.
   
  Para você, quais são os maiores desafios do reality?Entrar na casa de uma família que você não conhece acho que é um dos maiores desafios, é tudo imprevisível.

 O que pode mudar na vida de uma família quando eles resolvem “adotar” Maria Eugênia? Tudo ou nada, só me adotando para saber (risos).

   Quem seleciona as famílias e como são escolhidas? Temos a produção de casting e meus amigos Cleber, Erika e Supla, ajudam na seleção das famílias.

   Apesar de ser um programa de TV e ter como principal função o entretenimento. É possível tirar alguma lição ou até mesmo conhecer e aprender algo novo? Sempre, Acho que aprendemos coisas o tempo inteiro na vida e fica ainda mais fácil aprender alguma coisa com vários tipos de pessoas, costumes, famílias, etc.

   O que o público pode esperar de Adotada? Muito entretenimento. A vida como ela é.


Vem mais alguma novidade ou por enquanto temos que nos contentar com o reality? Não posso falar que perde a graça. Mas tem muita coisa boa e diferente.

   Segredos e manias de Maria Eugênia? Tenho mania de não sair sem batom, de usar óculos escuros à noite, de colecionar pijamas e imãs de geladeira de diferentes cidades e de ouvir mil vezes a mesma música durante semanas.

   Eu comecei a acompanhar você quando apareceu no reality com o Supla. Daquele dia em diante, me tornei admirador do seu estilo. E como o blog também tem um pezinho no mundo da moda. Eu queria saber. O que não pode faltar no seu closet? A minha amada calça disco pants e sapatos de salto.

   Inspirações para os Looks? Meu humor, minha personalidade.

   O que é moda em seu ponto de vista? Moda é me sentir bem.

   Uma música? Down in México - the coasters.

   Um bom livro? Todos do Osho. Estou numa fase Osho da vida.

     

   Adotada vai ao ar toda terça-feira a partir das 21h30min. Olha lá! Não vai perder. Né? Meus amigos estão pirando no programa, não é mesmo Danilo? Queria agradecer a Maria Eugênia que foi muito simpática comigo o tempo todo, espero que vocês tenham gostado. Inté a próxima perssoá. 


       

Eu, o tal 18 anos e um segredo

18/06/16

   Muitos amigos íntimos tem comemorado a chegada dos 18 anos. Tudo bem, não tem como impedir que isso aconteça. Mas acho que não estou preparado mentalmente. Alguém, por acaso teria uma fonte da juventude em casa? Às vezes (na verdade, quase sempre), eu adoraria ter 14 anos novamente. Poxa! Foi a melhor fase da minha vida.

Um segredo: Completar 18 anos me assusta.


    Até ontem eu apenas sonhava com a vida que eu queria ter, com a pessoa que queria ser, com meu futuro, mas agora, eu tenho que lutar por esses sonhos. Acredite, um blog não faz sucesso da noite para o dia e escrever um livro dá muito trabalho, pública-lo então... Melhor nem comentar. Enfim, quando eu completar dezoito anos, estarei encerrando um ciclo, estarei nos capítulos finais da minha novela favorita: "A Adolescência." E logo a vida adulta começa, as responsabilidades aumentam e a cobrança também, não só dos outros, mas de si mesmo.


   Meu Deus! Por que eu tenho que escolher fazer uma coisa para o resto da vida?


   Essa é a parte mais difícil, afinal, você tem que fazer uma escolha. E escolhas nem sempre são fáceis. Ah! Por favor, eu confundo a palavra melão e melancia. Você espera que eu saiba o que quero cursar?


   Eu queria mesmo era ser ator. Mas dizer: Pai eu serei ator e é isso que quero para minha vida. Não é tão simples quando seu pai se parece com o meu. Quando eu disse isso, ele logo torceu a boca e o nariz. Naquele momento, parecia que eu estava sujo. Tenho certeza que a partir do momento que disse a palavra "ator" ele não ouviu mais nada e só deveria se passar por sua cabeça a seguinte frase: Pai, sou gay e gosto de teatro, vou me formar nisso e passar fome para o resto da minha vida.

   Com o tempo, eu descobri que amava teatro, mas aceitei que não daria para sobreviver disso e eu teria que mudar por completo a minha vida, até mesmo me mudar para o Rio de Janeiro, onde eu tentaria uma vaguinha em uma novela das seis, ficaria na porta da Globo chorando ou faria o teste do sofá (brincadeira sobre o teste do sofá). Todavia, o Rio de Janeiro me assusta, sendo assim acabei desistindo. Quando eu terminar meu livro e as coisas no blog estiverem estabilizadas, eu volto para o teatro.

   Aonde eu queria chegar com esse papo de doido mesmo?
  
    Acho que lembrei. É nessa fase, que você também tem que escolher sua profissão, o que no meu caso, não tem sido nada fácil. São tantas áreas, tantos cursos, que frequentemente me perco. Mas saiba você, que tenho uma lista, uma lista com os meus favoritos.

   * Comunicação
   * Jornalismo
   * Ciências sociais e politica
   * Direito
   * Publicidade


   Se nada der certo eu viro BAILARINA DO FAUSTÃO.



  Essas coisas fazem com que os dezoito anos sejam chatos. Aí rola uma pressão, às vezes da vontade de virar e soltar um lindo e belo foda-se. Mas o titio recomenda que não faça isso, conte até dez e respire fundooooooooooo. A pior parte são as pessoas falando: "Nossa, quando se faz dezoito o tempo voa e então, logo você terá trinta". Francamente, dizer que vou envelhecer rápido depois dos dezoito não ajuda.


  Querido 18 anos, não sou seu inimigo (acredito que isso seja recíproco), tenho lhe esperado pacientemente. Só não tenha pressa e não agilize os trinta. Eu estou despreparado e quando digo despreparado, é porque está tudo bagunçado. Arrume as malas com calma e venha em fevereiro, para ser exato, chegue no dia 26 de fevereiro que por coincidência é meu aniversário. Resolvi escrever essa carta, porque assim, de longe, você parece um bicho de sete cabeças, mas no fundo, sei que não passa de um imenso exagero.
 Talvez, no dia da sua chegada eu e meus amigos iremos a uma balada. Traga roupa de festa, seja elegante e educado. 





                                                                 Com carinho: Você sabe quem.

  

Um texto de amor;

11/06/16

     Tudo vai ficar bem.



   Nós sabemos o quanto é importante acreditar nisso. Não é mesmo? Hoje é dia 09 (quinta-feira à noite), faz frio e estou dentro de um barco, a tempestade está feroz. Parece que não existe um lugar para me apoiar, ninguém para dizer que o frio vai passar. Sinto a fera devorar-me, pedaço por pedaço.

   Coloquei uma música de fundo, sentei e resolvi expor meu coração. Queria ajudar alguém e pensei em você. Sim, talvez em algum lugar em um dia de verão ou em outro dia frio qualquer, você esteja na mesma situação, triste por algum motivo. Parece que não, mas vai passar. Tudo passa, a vida é passageira. Sentimentos, pessoas, sorrisos e lágrimas, essas coisas são como uma folha em uma arvore: Assim como outras folhas, essas irão secar e desgrudar-se de seus galhos, então assim que o primeiro vento soprar, elas irão voar para algum lugar distante.

   Você não consegue enxergar agora, sei que não. Mas você vai aprender algo com tudo isso e um dia agradecerá, irá lembrar-se dessa folha, sorrir, chorar, sentir saudade. 

   É humano, como humano você aprende que pode ser uma explosão de sentimentos dentro de uma falsa máscara finita. Você tem a opção de não esconder-se. Hei! Não será julgado aqui. Pegue um pedaço de papel e escreva, conte sobre seus medos, sobre seus sonhos, amores e ilusões. Cante, dance e depois dance e cante, mas se entregue, viva, pois viver é um dom. Quando nuvens cobrirem o sol e não se sentir iluminado, lembre-se de que todos nós temos dias difíceis e que esses dias servem para nos ensinar a valorizar os dias bons. Porém, não se sinta na obrigação de alimentar uma falsa alegria, chore o quanto tiver que chorar, até desidratar ou até a dor escorrer por seus olhos e respingar no chão.


(Foto Por: Bruno Roberto Inoshita, mais fotos em @roberto_inoshita)


   Esse texto foi escrito em um momento de explosão, há cores, dores e amores. Leia em um momento de explosão.

Amador de fotos.

17/05/16

    O que vocês precisam saber é que eu não amava fotografar, isso não era algo de extrema importância em minha vida. Demorou para que eu me descobrisse como fotógrafo. Surpreso? Essa é a verdade.

   Meu pai por outro lado é aquele tio careta que fica de um lado para o outro nas festas, fotografando tudo. Até me explicar o que o levava a tirar tantas fotos em reuniões da família. "Daqui alguns anos, você terá fotos suas para mostrar aos seus filhos. Vai ter fotos dos seus pais, tios, tias e avós. É eterno." Essas palavras brotaram em mim. Depois disso comecei a admirar fotografias, enxergar com olhar poético a importância de uma imagem.

Foto Por: Bruno R. Inoshita


   Há alguns dias estava pensando na primeira vez que produzi um ensaio. Estava tão nervoso e inseguro. A primeira vez a gente nunca esquece, o resultado não foi bom (nem de longe), mas por algum tempo eu me senti realizado. Depois aprendi que poderia fazer melhor. Bem melhor.

 

 
   O mais curioso é que depois de um tempo descobri que esse amor por fotos é herança de família. Uma vez a caminho da dentista, perguntei aos meus pais por que meu segundo nome não era japonês, assim como dos meus irmãos. Depois de dar a explicação, meu pai disse "queria que seu segundo nome fosse Noboro..."  ele continuou "Era o nome de um dos irmãos do seu avó. Tio Noboro era fotógrafo, naquela época ele já tinha uma câmera, acho que nosso amor por fotografias vem dele." Eu não conseguia dizer nada, apenas sentir, naquele momento tudo foi respondido. Está no sangue. Demorei tanto tempo para descobrir, para deixar florescer, mas aconteceu e sem que eu soubesse, isso já fazia parte de mim.

Foto Por: Bruno R. Inoshita


   O tempo foi passando e eu me desenvolvendo. Pouco mais de 1 ano, tempo para eu descobrir coisas que gosto de fotografar, como por exemplo flores, amo flores, a delicadeza e a perfeição de uma rosa é capaz de me fazer parar e pensar na perfeição da natureza, como tudo é planejado e parece desenhado, com amor e carinho. Comecei a retratar tudo isso, a guardar pra sempre. Fotografia vai além de uma expressão artística, é uma expressão de amor, que atravessa o tempo. Isso é ser amador de foto.

   Aquele garoto que começou a fotografar para seu blog, para criar uma identidade, foi além, ele descobriu que na verdade, fotografar faz parte da sua identidade. Parte de quem é, de onde veio. Nada é por acaso.

Foto Por: Bruno R. Inoshita


   As fotos abaixo fazem parte do meu acervo pessoal. Bom, espero que gostem... Se quiser ver mais e me acompanhar pode me seguir no Instagram é @roberto_inoshita <3 Snap: brubs_inoshita <3 Assim pode acompanhar meu dia a dia e bastidores do blog. Beijos e até a próxima.


Foto Por: Bruno R. Inoshita




Foto Por: Bruno R. Inoshita




Foto Por: Bruno R. Inoshita


Foto Por: Bruno R. Inoshita








O inverno chegou. Você está preparado?

10/05/16

   Oi gente. Está frio, né? E os looks de inverno? Estão prontos? Os meus estão quase pulando do armário (armário mexmo, closet é coisa de blogueiro classe A).

   Eu fotografei um look super básico. Queria compartilhar com vocês. É possível ficar bonito e elegante sem gastar nada (comprar mais roupas e etc). Peguei peças que já tenho. Coisas que uso bastante e coisas que usei poucas vezes e montei um look amável.



   Vamos ao look: Calça jeans estilo Destroyed. Escolhi essa calça pois o look é básico, ela vai ajudar a deixar o look jovem e descolado. Sem contar que o jeans da calça é diferente do jeans da camisa, assim as peças não se misturam. Vamos usar uma jaqueta college.  A jaqueta deixa o look mais street. O couro da manga impõe estilo e atitude.

   Duas peças jeans, isso pode? Pode sim. Aliás, tudo pode, desde que você queira. Já fiz algumas combinações de jeans. Algumas vezes. Admito, amo jeans. Bonito, confortável e certeiro.

   Pronto, com esse look você pode ir à farmácia. Na padaria do bairro. Pode ficar em casa e tirar fotos. Ir ao posto de saúde e até mesmo comer uma coxinha no boteco do centro. Amo. <3



Camisa jeans é Levi's;

Calça TNG;

Jaqueta college Gap.